BiosTherapy II- O que é? » Efeitos do led » Aplicações »
BiosTherapy II - Efeitos do Led

Os diodos emissores de luz LED se apresentam como uma alternativa ao uso do laser de baixa potência, pois proporcionam resultados terapêuticos semelhantes, com amplas vantagens já que podem cobrir grandes áreas com uma exposição de tempo menor.

Não apresenta efeitos colaterais e térmicos, podendo ser utilizado em casa, no alívio de dores e como auxiliar na cicatrização.

Os benefícios da Fototerapia incluem o tratamento de queimaduras, lesões de pele, úlceras de origem venosa, arterial ou isquêmica, fraturas de ossos, dores de origem reumáticas ou articulares, bem como na aceleração da cicatrização, etc...

Destacam-se como principais efeitos derivados da absorção do LED, a aceleração da transcrição e replicação do DNA (ácido desoxirribonucléico), a produção de ATP (adenosina trifosfato), a atividade mitocondrial, e ainda a cicatrização tecidual e a angiogênese.

Efeito na reparação tecidual (musculares, tendinosas e ligamentares):

Quando o tecido é irradiado precocemente após a lesão, ocorre a otimização da cicatrização e regeneração muscular devido ao aumento da mobilidade mioblástica e de miofibrilas jovens com a proliferaçãzo de cdélulas satélites e neoformação de vasos sanguíneos.

Efeito Analgésico:

A ação analgésica ocorre dentre outros fatores, devido à redução da inflamação pela reabsorção de exsudatos, pela estimulação da microcirculação e da biomodulação no metabolismo das serotoninas.

A biomodulação realiza também a indução da liberação de substâncias pré-formadas, como histaminas e bardicinina, além de promover estimulação ou inibição de reações enzimáticas.

Efeito Anti-inflamatório:

Essa ação está relacionada devido à interferência na síntese de prostaglandinas e a estimulação microcirculatória, proporcionando ao tecido lesado células de defesa e otimização da oxigenação local.

Além disso, a ativação da microcirculação local também favorece ao efeito antidematoso.


(LUZ et al, 2007; SCINDL et al, 2000; SHEFER et al, 2003 GUIRRO, 2002; ROBBINS 2000; FREITAS;BARANAUSKAS 2000).


Autor do texto: Dr. Juis Augusto L. Conrado

pic1

O gráfico ao lado mostra a interação dos comprimentos de ondas do espectro eletro magnético com os tecidos biológicos.

A luz vermelha 630nm do BiosTherapy ll se encontra na janela biológica. Pode penetrar no interior celular, estimulando as organelas, principalmente mitocôndrias, produzindo mais ATP e energia celular.Está na curva de menor absorção por água, na menor absorção por sangue e pela melanina, portanto tem maior poder de penetração. O seu correto comprimento de onda associado a sua potência de 300mW possibilita tratamentos de estruturas profundas do nosso corpo com um menor tempo de tratamento.

Poderá estimular plaquetas a liberarem hormônios como endorfinas e serotoninas com efeito analgésico local, liberar fatores de crescimento capazes de estimular fibroblastos e acelerar a reparação tecidual.

Células endoteliais estimuladas liberam oxido nítrico, promovem vaso dilatação, permitem a drenagem linfática e controle do edema.

Incrementa o metabolismo e a síntese da principal proteína fisiológica reguladora do sistema oxidativo corpóreo (SOD - Superóxido Dismutase ). A enzima inativa os Radicais Livres (RL) e assim protege as células das mutações e do envelhecimento (Anti-Aging).

Permite uma melhora da micro circulação oxigenando melhor os tecidos e favorece a angiogense.

A luz atua na membrana celular favorecendo a troca iônica e a sua nutrição. Todas estas ações fisiológicas conjuntas possibilitam à fototerapia uma ação antiinflamatória, de analgesia e acelera etapas da cicatrização minimizando o uso de medicamentos.


© Copyright Masterview. All Rights Reserved. 2018